Alpedrinha: A Vela Tremeluzente

Nuno Silva
Alpedrinha: A imagem desgastada mostra as ruas de paralelepípedos da vila, obscurecidas pela escuridão, enquanto uma figura encapuzada se move furtivamente pela escuridão, sua vela tremeluzente lançando apenas uma luz tênue sobre as fachadas das casas antigas.

[Verse 1] Sob o manto da noite, a vila dorme As ruas de paralelepípedos, envoltas pelo silêncio Uma figura encapuzada, caminha sem som Sua vela temerosa, ilumina o caminho [Chorus] Alpedrinha, alma perdida Na escuridão, a esperança é o seu destino Entre as sombras, a verdade se esconde E a vela, a única luz que a mente responde [Verse 2] As fachadas antigas, guardam segredos Os paralelepípedos, contam histórias de outro tempo A figura se move, entre a luz e a sombra Procurando um fim, ou talvez um começo [Chorus] Alpedrinha, espírito que andança Na penumbra, a esperança é a sua companhia Entre as ruas, a verdade se revela E a vela, a única luz que a alma acolhe [Bridge] Na vila adormecida, a história se escreve A vela tremeluzente, a narrativa que se entrelaça A figura encapuzada, a protagonista da noite Na dança das sombras, o mistério se desvanece [Chorus] Alpedrinha, a luz que se apaga Na escuridão, a esperança é o seu refúgio Entre as paredes, a verdade se ergue E a vela, a única luz que o mundo vê [Outro] A vela apaga, a noite se fecha A figura desaparece, na escuridão se funde Alpedrinha, a história continua Na memória da vila, a vela queima eternamente [End]

Shoes